Entre Papas e Sonhos – e o retorno a uma casa acolhedora

Se você perguntasse para um torcedor do San Lorenzo que ele seria campeão argentino no dia anterior a escolha do Papa Francisco, você ouviria uma ofensa. Como assim, o San Lorenzo que está próximo do rebaixamento conquistando um Campeonato Argentino! E uma Libertadores, então? Logo quem, o CASLA: Club Argentino Sin Libertadores de America. Quatro dias depois, quando fora divulgado que o Papa era torcedor do San Lorenzo, a conversa seria outra.

Não dá pra mentir que a Libertadores conquistada pelo San Lorenzo tenha aparecido na escolha do Papa. Pode parecer até um discurso bem simplista, mas faz sentido: O time lutava para não cair no Campeonato Argentino. Seis meses depois, havia escapado do rebaixamento e conquistado o Apertura, de maneira convincente e impressionante.

Sim, a força pode ter chegado de outros campos, de fatos extra-campo. O San Lorenzo não mudou, o elenco pouco mudou, a filosofia da equipe também, tudo era igual. A diferença era que, tanto os fãs, quanto os jogadores, além de fazer sua parte, acreditavam no improvável, no indubitável, no improvável.

Tão improvável como ter a segunda pior colocada entre os classificados e enfrentar na final, justamente a equipe com a pior campanha entre os 16 que avançaram na Libertadores. Batendo gigantes em seus castelos (Grêmio e Cruzeiro) e uma zebra (Bolívar), ele havia chegado. Encarou o pequenino da mesma forma que encaraste os gigantes: De cabeça levantada, honrando e representando. Sob sua camisa, havia uma proteção divina, e foi com ela que o termo CASLA não era mais um fardo para piadas.

O San Lorenzo deixou de ser uma piada, deixou de ser a criança quieta, abandonada no canto da sala, escondida do mundo. Estampou a cara nos jornais, impressionou até quem duvidava de seu potencial, e entendeu que poderia mudar o mundo, e mudou. Papa Francisco foi importante nessa situação? Demais. Talvez se o Papa fosse Boca ou River, estaríamos vendo o San Lorenzo de volta a Primeira Divisão agora.

A fé também move os artistas da bola para alcançar grandes feitos, e foi isso que o San Lorenzo fez: Se usou da fé para transformar em arte um sonho improvável. Da lama a glória. Foi assim que o San Lorenzo alcançou um pedaço do céu.

——–

É desta forma que o Arte do Futebol retorna. Depois de muito tempo ausente, sumido, mas sempre visitado (mais de 28 mil visitas), voltamos com ânimo para escrever. Nos próximos dias, vamos ajustando a casa para que você volte a entrar aqui. O AdF é seu, o conteúdo quem indica e até mesmo produz é você. Quer entrar em contato conosco? Mande email para artedofuteboladf@gmail.com

Arte do Futebol.
Um blog futebolisticamente artístico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s